Inicio » , , , , , , , » Egito: O museu a céu aberto da antiga capital Memphis

Egito: O museu a céu aberto da antiga capital Memphis

As ruínas da primeira capital do Egito unificado



Essa cidade foi capital do Egito há tanto tempo que hoje não resta mais nada de pé. Teria sido fundada pelo faraó Menes, na primeira Dinastia, em 3.100 a.C., ou seja, há mais de 5 mil anos!!! Foi a primeira capital do Egito depois da unificação, mas a fração que podemos ver de Memphis atualmente está localizada, principalmente, em torno da pequena aldeia de Mit Rahina.


COMO CHEGAR?

Era meu vigésimo nono dia no Egito depois de cruzar todos os cantos do país em busca dos templos do passado. Confesso que eu já estava sem paciência de ficar negociando com taxistas na rua e aturar as malandragens, resolvi pagar um táxi do hotel que seria mais caro mas não me causaria tantos perrengues.  O táxi custou 550 EGP para um tour passando por Memphis, Dahshur e Saqqara. Até que não saiu tão caro se considerar que custou menos de R$ 200 para um dia de passeio e eu ainda dividi o valor com outra pessoa. 

Entrada da parte coberta do museu


O museu fica próximo de Saqqara. Para quem quiser ir de ônibus, a linha 330 liga Gizé a Saqqara. De Saqqara é necessário pegar um táxi até o museu (7 km).


O MUSEU EM MIT RAHINA

Como nada mais restou de pé em Memphis, para facilitar aos turistas a visitação, foi criado um museu bem simples, com apenas uma parte coberta e os demais achados espalhados por um jardim aberto. Funciona na aldeia de Mit Rahina diariamente das 9h00 às 17h00. O carro parou para eu desembarcar na bilheteria e me cobraram o estacionamento, sem necessidade, pois o motorista parou do outro lado da rua. Gastei dinheiro a toa.

A maior parte do museu é de rochas com relevos, o que já foi um templo


Para falar a verdade, depois de ter percorrido vários templos, tumbas e museus pelo Egito, este museu de Memphis me decepcionou. Não vi muita novidade. Os achados arqueológicos estão enfileirados, a maioria sem explicação, dividindo o mesmo espaço com barracas de artesanato, tudo parecendo um grande depósito. Mesmo assim vou mostrar aqui no post o que eu achei mais interessante.

Pátio do Museu de Memphis e as barraquinhas de artesanato à esquerda


COLOSSO DE RAMSES II

Essa estátua é uma das peças mais interessantes do museu. Foi feita em granito vermelho e mede cerca de 10 metros de altura.  Descoberta nas ruínas do grande templo de Ptah (1882). Chegou a ser oferecida de presente para a Inglaterra por Mohammad Ali (o mesmo que doou o obelisco do Templo de Luxor para a França), mas seria tão complicado levar que os britânicos desistiram do presente. Por enquanto está na única parte coberta do Museu de Memphis, mas será exposta no Grande Museu Egípcio que está em fase de construção e ficará próximo às Pirâmides de Gizé.

Essa estátua já foi colocada na estação de trem do Cairo, em 1955


Diferente de outros colossos grosseiros de Ramses II, esta possui detalhes mais suaves


Na parte externa, existe outra estátua colossal de Ramses II


ESFINGE DE ALABASTRO

Não era comum usar uma rocha de alabastro para fazer estátuas no Egito antigo, mas esta foi esculpida em honra de um faraó desconhecido, com características faciais que sugerem ser Hatshepsut, Amenhotep II ou Amenhotep III. Esta esfinge passou muitos anos caída de lado na água, por isso está danificada no seu lado direito.

Não havia inscrições na estátua, sendo incerto o faraó a qual representava


Possui 8m de comprimento, 4m de altura e pesa quase 90 toneladas


ARTE E COSTUMES DE MEMPHIS

A cidade teria sido fundada pelo faraó Menes que construiu diques para proteger a área contra inundações do Nilo. Mais tarde, tornou-se o centro administrativo e religioso do Egito. Provavelmente teve importância internacional no mundo antigo.

Uma trindade de deuses representada nessa estátua pouco conservada


O museu a céu aberto possui diversas pedras com relevos talhados no estilo das estelas maias


A Porta Falsa é usada em túmulos para a entrada na vida futura


O nome que usamos hoje deriva da pirâmide de Pepi I, em Saqqara, que é Mennufer (o bom lugar), ou copta Menfe. Memphis é a tradução grega. O historiador grego Heródoto conta que visitou a cidade no século 5 a.C. e viu muitos gregos, judeus, fenícios e líbios vivendo em meio a população de Memphis.

Parte de uma antiga coluna de estilo Hátorica, em homenagem à deusa do conhecimento


Tipos de colunas da arquitetura egípcia


Um grande bloco de pedra em formato semelhante aos sarcófagos


Na "tampa", uma figura de Isis com dois olhos de Hórus, semelhante a um rosto


Antes de seguir viagem, tomei um chá para brindar a antiga Memphis rs


CUSTOS (agosto 2014)

- Tour de 1 dia com o táxi do hotel - 550 EGP
- Gorjeta do motorista - 50 EGP
- Entrada do Museu de Memphis - 40 EGP
- Estacionamento do museu - 2 EGP


MEU ROTEIRO

Anterior: PIRÂMIDES DE GIZÉ

Roteiro completo: MISSÃO EGITO

Próximo: DAHSHUR


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Leia Também

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações