Turquia: 02 dias na rústica região da Capadócia

Relatos de uma aventura de mochila na terra dos antigos cruzados, como São Jorge


A Capadócia não é exatamente uma cidade, mas uma região da Turquia onde estão várias pequenas cidades em uma região desértica repletas de formações rochosas exóticas e vestígios de civilizações antigas. Tem sido habitada há muito tempo, sendo a região de origem dos civilizados hititas e um local de passagem entre o oriente e ocidente, possuindo várias construções feitas na rocha onde se destacam as igrejas do período das cruzadas. Foi também o lugar de origem da lenda de São Jorge, o santo guerreiro dos católicos. A cidade mais turística é Goreme, centro da região e ponto de partida para visitar os diferentes pontos, mas não existe aeroporto lá, sendo necessário chegar pelos aeroportos de Tuzkoy ou de Kayseri.


CHEGADA EM KAYSERI

Cheguei no aeroporto de Kayseri pela noite e não achei nenhum transporte público para a cidade. Instintivamente segui andando para fora da área de estacionamento e descobri um ponto de ônibus na estada. Minha intenção era chegar na rodoviária de Kayseri para comprar a passagem de ônibus até a cidade de Kahta, dois dias depois, garantindo assim uma vaga no raro ônibus noturno.

Ao parar um ônibus, tentei perguntar se ele seguia para a rodoviária, mas o motorista disse que não havia transporte direto dali. Eu teria que seguir ao centro de Kayseri e, de lá, pegar outro para a rodoviária. Outra coisa que eu descobri era que não era possível pagar a passagem direto no ônibus, eu devia ter um bilhete, mas isso não vendia por ali.

Foi então que eu tive uma das maiores provas da hospitalidade do povo turco: Um dos passageiros que falava bem inglês, traduziu minha necessidade ao motorista que me autorizou embarcar até que o ônibus passasse por um ponto de vendas. Ao passar por uma loja de conveniência, o ônibus parou e o homem foi comigo para ajudar a comprar o bilhete, mas estava em falta. O rapaz voltou e disse para o motorista me levar até o ponto final onde eu poderia comprar assim que chegasse no centro.

Chegada em Kayseri


No final consegui comprar a passagem no guichê da empresa cujo atendente adorou saber que eu era brasileiro e me mostrou que ele fazia jogos de aposta em resultados de jogos de futebol na internet. A partir disso, consegui pegar um ônibus que me deixou na principal cidade turística da Capadócia: Goreme.

No centro da cidade existe muralhas de uma antiga fortaleza 



DIA 01

O EMBLEMÁTICO VOO DE BALÃO

Ao chegar na deserta rodoviária de Goreme, sem ainda ter nem lugar para dormir, perguntei no posto que funcionava como ponto de táxi e agência de turismo a respeito do vôo de balão. Fechei o vôo logo pela manhã e o atendente também recomendou um hotel bem barato para minha hospedagem. Leia o relato completo no post Vôo de Balão na Capadócia.

 A nascer do sol é visto de um ângulo jamais visto


O HOTEL-CAVERNA

Voltando para ao Gümüs Cave Hotel, tomei um café da manhã de verdade: uma bandeja com pão, manteiga, queijo, frutas, geleia, e ovo cozido. Ainda havia algumas especiarias que eu não comi como azeitona, por exemplo. Para beber, o funcionário do hotel me perguntou o que eu queria, eu respondi que queria leite. Depois ele me perguntou de novo e eu reafirmei meu pedido... só sei que terminou o café da manhã e até hoje estou esperando o leite.

 A entrada do Gümüs Cave Hotel


O dia vai passando e o clima começa a mudar. Começa a ficar quente. O hotel, feito na rocha, mistura cavernas com muros, e o clima no interior da pedra é incrivelmente fresco, apesar do sol escaldante que se formava no lado de fora.


Quarto coletivo escavado na rocha


Havia chegado de madrugada no hotel e fiquei num quarto coletivo que o motorista de táxi me mostrou, ele disse que conhecia o dono e que pela manhã eu iria conhecê-lo. Foi a partir desse momento que eu comecei a conhecer o pessoal do hotel. O dono era um cara muito zen, parecia que nada o incomodava. Eu que expliquei a história de como eu cheguei e estava hospedado lá, ainda disse quem foi o taxista mostrando o cartão que havia me dado, nem sei se ele reconheceu o taxista, mas sempre agiu com um sorriso e demonstrando despreocupação. Eu ainda chequei o valor da hospedagem conforme eu negociei, para cercar a zebra, ele confirmou sem mesmo saber em que quarto eu estava.

A alta cúpula do Gümüs: meus novos amigos na Capadócia


Conheci também o Caner, um piloto de balão e amigo do dono do hotel. Ele morava em Nevsehir, a maior cidade da região e vizinha de Goreme, e vinha todo dia pela manhã fazer um vôo, passava no hotel do amigo para tomar um chay e depois voltava para sua cidade. Ele contou que era formado em direito mas não queria exercer essa profissão, era mais feliz pilotando balões e trabalhando como guia. Mais um exemplo de que ganhar muito não é exemplo de felicidade.

Hotel meio alvenaria meio caverna


Vista do terraço do hotel


Peguei dicas com eles sobre a Capadócia e Caner me perguntou se eu não estava afim de fazer um tour com ele como guia. Eu recusei pois sei que é bem mais barato e divertido chegar nos lugares por conta própria. 


PASSANDO POR UÇHISAR E NEVSEHIR

Eu já estava saindo quando Caner (o baloeiro que me convidou para me guiar num tour e eu havia recusado) perguntou para onde eu ia. Apesar do cara parecer gente boa, eu como sempre desconfiado não dei muito papo, mas disse que estava indo para Nevsehir e, de lá, iria para Derinkuyu, a cidade subterrânea mais famosa. Como ele morava lá, me ofereceu uma carona. Eu aceitei.

No caminho se ofereceu a me levar para conhecer Uçhisar e suas formações rochosas que mais parecem um castelo. Como sou gato escaldado e já passei por tentativas de pessoas que se passavam por guia e cobravam no final (leia aqui a confusão que deu no Panamá), recusei dizendo que conheceria na volta. Ele continuou insistindo em me mostrar e eu aceitei, afinal, eu já havia dito que não queria nenhum tour pago e afinal, se fosse para ter outra confusão eu já estava acostumado.

Uçhisar fica a apenas 3 Km de Goreme e eu havia planejado passar por lá quando estivesse voltando de Derinkuyo. É uma cidade alta cuja parte mais exótica fica no cume de um morro, a 1.300 m de altitude. É rocha repleta de labirintos com capelas, mosteiros, habitações, refeitórios, etc. Devido sua altura privilegiada, é o lugar ideal para se observar o pôr-do-sol na região já que os balões não voam a tarde.

Uma fortaleza natural em Uçhisar que fica no lugar mais alto da região


Voltando ao caminho de Nevsehir, conversamos sobre a vida numa caverna. Caner havia me falado que muitos ainda moram em cavernas na Capadócia. Morar em cidades ainda é um tabu para os antigos da região, como a avó dele por exemplo. Pelo menos eu percebi que essas construções isolam muito bem a temperatura externa dessa região de extremos (calor escaldante no verão e neve no inverno).

Chegando em Nevsehir, que é uma cidade grande e não tem muita coisa para se conhecer, Caner me deixou no ponto onde passa o ônibus, e também vários Dolmus, todos com placas indicando Derinkuyu como destino. Já imaginei que Cenes me estenderia a mão e cobraria pelo serviço, mas me enganei. Ele ainda comprou uma garrafa de água e me deu, dizendo que era presente de amigo. Eu, acostumado em viajar por cada buraco com pessoas tentando passar a perna em turistas, fiquei realmente grato e cada vez mais admirava o povo turco. 


AS CIDADES SUBTERRÂNEAS

Uma das explorações mais importantes nessa região é, sem dúvida, as misteriosas cidades construídas abaixo do solo. Ninguém sabe ao certo para que tanto esforço foi realizado a ponto de construir cidades inteiras subterrâneas, inclusive algumas como Derinkuyu, com capacidade de comportar cerca de 10 mil habitantes. Leia o relato completo no post As Misteriosas Cidades Subterrâneas da Capadócia.

As enigmáticas e extensas galerias debaixo do solo


UM MISTO DE NIGHT E FOLCLORE

Para fechar a noite do primeiro dia em excelente estilo, nada como aproveitar um show de danças típicas e folclore turco. Começando com um jantar com comidas e bebidas da região e terminando com uma balada bem diferente. Leia o relato completo no post Turkish Night, uma Noite de Música Típica na Capadócia.

Os dervishes rodopiantes são uma das atrações da Turkish Night



DIA 02

MIRANTE DE GOREME

Primeira missão do dia seria tirar uma foto na placa da entrada da cidade que eu tentei tirar no dia anterior com meu motorista mas ele disse que não podia parar carros ali. Subi andando e ainda achei um mirante do vale de Goreme, com suas cavernas furadas como queijo suíço na paisagem.

Um pouco antes da entrada da cidade existe um mirante


Os nativos realmente moram nas cavernas escavadas até hoje 


É impressionante ver os "prédios" de Goreme 


São morros inteiros furados para moradia, como um queijo suíço


CENÁRIO DA NOVELA "SALVE JORGE"

Descendo a ladeira do mirante rumo a cidade, me surpreendi com uma placa escrita em português (!) indicando o local onde foi filmada a novela Salve Jorge da Rede Globo. Segui a indicação da placa e cheguei na Casa de Ziah. Na porta avistei um turco sentado na sombra, como se fosse um vigia. Fiquei desconfiado e já pensando qual seria o preço da entrada. Ele não falava nada de inglês nem português, mas me informou por gestos que a entrada era franca. Fiquei ainda mais desconfiado.

 Uma surpresa no caminho: uma placa escrita em português!


O quintal da casa de Ziah


 Interior da casa usada como cenário da novela da Globo


Era como um cenário ainda preservado das filmagens da novela, enfeites nas paredes, roupas de figurino, carroças com jarros e até mesmo alguns detalhes como um refletor escondido dentro de um vaso de barro. Fotografei tudo e na hora de ir embora o senhor que cuidava do local me deu um cartão de visitas que era de uma loja de jóias da cidade. Informava que a casa era de propriedade da loja e que as jóias foram usadas pelas personagens. Entendi tudo. Vale a pena manter um ponto turístico para atrair os brasileiros consumistas que não dispensam a moda imposta pelas novelas!

Um bilhete informa que as joias e acessórios da novela são vendidos na loja Goreme Onyx 


 Um ponto turístico criado exclusivamente para brasileiros consumistas


Aqui até o vaso barro é cenográfico!


DO MUSEU AO CÉU ABERTO DE GOREME ATÉ ZELVE

Uma das maiores atrações da Capadócia é seu relevo diferente, com formações rochosas curiosas. Além disso, são pedras fáceis de serem esculpidas e cortadas, o que ocasionou no uso para construção de casas e de igrejas que se tornaram um imenso museu a céu aberto. O mais famoso é o de Goreme onde existem igrejas talhadas na rocha com pinturas de santos nos altares que foram preservados até hoje. Não me contetei em conhecer só essa parte turística e me embrenhei no deserto por 6 Km até chegar em Zelve. Leia o relato completo no post Goreme e Zelve, os lugares mais exóticos da Capadócia.

Trilha pelo deserto até chegar em Zelve


PARTIDA PARA KAHTA

Ao término das explorações na Capadócia peguei um transfer para Kayseri para ebarcar no ônibus noturno que me levaria para Kahta, meu próximo destino no interior da Turquia. Enquanto eu esperava o embarque no ônibus, fui dar uma volta num shopping em frente ao terminal de Kayseri. Entrei numa lanchonete e o atendente, bem atencioso, informou que a cozinha já tinha fechado. Neste momento um clima de tensão: Estendi a mão para cumprimenta-lo em agradecimento e ele, após apertar minha mão, me puxou para um beijo no rosto! Rapidamente travei o braço e fui embora. Beijar homem no rosto é normal na cultura turca, mas eu não era turco...

Shopping em frente ao terminal de ônibus de Kayseri 


Na maioria dos shoppings na Turquia é proibido fotografar o interior, por prevenção a atentados terroristas eu acredito. Depois de fazer umas compras por um preço bem abaixo do Brasil, embarquei no horário no ônibus da empresa Gularas e segui até meu próximo destino. Para mais detalhes sobre a compra de passagens, leia o post Dicas de Transporte na Turquia.

Um senhor com a calça no estilo "Alladin" é um dos passageiros rumo ao interior da Turquia


MAPA DA CAPADÓCIA



CUSTOS (setembro 2013)

- Ônibus para a rodoviária de Kayseri - 3,40 LT
- Passagem para Nevsehir - 15 LT
- Táxi p/ Goreme - 25 LT
- 2 diárias no hotel - 40 LT (20 LT cada)
- Passagem p/ Kahta - 50 LT
- Transfer p/ Kayseri - 15 LT
- Jantar - 20,50 LT
- Compra de 2 calças - 50 LT (25 LT cada)


MEU ROTEIRO

Anterior: ISTAMBUL (dia 1)

Roteiro completo: MISSÃO TURQUIA



Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Leia Também

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações