Travessia Lapinha x Tabuleiro: Como planejar?

Informações úteis para a execução de uma das travessias mais interessantes do Brasil


Uma travessia clássica na região da Serra do Cipó que é feita do vilarejo de Lapinha da Serra até o vilarejo de Tabuleiro, em Minas Gerais, distante um pouco mais de 100 Km de Belo Horizonte. No total, são 42 Km de caminhada percorridos em 3 dias, atravessando paisagens incríveis e isoladas da civilização por antigas trilhas de gado. Foi considerado um dos 8 trekkings imperdíveis do Brasil pela revista Go Outside.


COMO CHEGAR?

De carro:
Para chegar no ponto inicial (Lapinha da Serra) o acesso é pela MG–10, até o distrito da Serra do Cipó. De lá, segue 30 Km para a pequena cidade de Santana do Riacho-MG. Ao chegar em Santana do Riacho, basta seguir até a Praça central e pegar a rua que passa pela lateral direita da igreja, seguindo por mais 12 km de estrada de terra até chegar no vilarejo de Lapinha. 

A estrada que liga a Serra do Cipó a Santana do Riacho é asfaltada


De ônibus:
É necessário seguir para a rodoviária de Belo Horizonte. A empresa Saritur faz o trajeto até a cidade de Santana do Riacho. No período que eu fiz a travessia, esta empresa não estava vendendo passagens pelo site, sendo necessário comprar pessoalmente no guichê. Tel: (31) 3272-8525 

Guichê da empresa Saritur na rodoviária de BH


A partir de Santana do Riacho, um transporte regular para Lapinha é a carona no ônibus escolar que sai do lado da igreja às 12h00 (somente dias úteis!). Existe também a opção de contratar alguém para levar de carro, kombi ou moto perguntando nos botecos em torno da praça. Como eu cheguei num sábado e não havia aula, fui para a estrada de Lapinha e consegui uma carona. 

Horários (não confirmados) de ônibus para a região


De avião:
Para quem vem de longe, é possível pegar um vôo até Belo Horizonte, no Aeroporto Tancredo Neves, e seguir até a rodoviária de ônibus, sem gastar dinheiro com táxi. Basta pegar o ônibus da Empresa UNIR que liga o aeroporto e a rodoviária com saídas com intervalos de 15 ou 30 minutos. O valor é R$ 11,20. Para voltar para o aeroporto, procure o guichê da empresa em frente a descida da plataforma E na rodoviária.


APÓS A TRAVESSIA

De carro:
Lembre-se que isto é uma travessia, se for de carro terá que retornar para o ponto inicial para buscá-lo. Não é não simples retornar de Tabuleiro para Lapinha da Serra pois não existe estradas que ligam diretamente e muito menos transporte público regular. Tenha paciência pedindo carona, pague um táxi (bem caro) ou combine com um amigo de buscá-lo em Tabuleiro. Um bom ponto de informações é o Bar da Ceci.

De ônibus:
A partir de Tabuleiro, siga para a cidade de Conceição do Mato Dentro-MG. Não é fácil ter transporte de Tabuleiro a Conceição, sendo necessário contratar um carro (ouvi falar em torno de R$ 80) ou pedir carona. Também tem o ônibus escolar que sai as 11h00 da igrejinha de Tabuleiro nos dias úteis. A Viação Serro faz o transporte entre Conceição do Mato Dentro e Belo Horizonte (07h30, 14h, 18h15 e nos domingos às 16h30). São 3h40min de viagem pelo valor de R$ 42,40. Tel: (31) 3201-9662.

O pequeno vilarejo de Tabuleiro visto a partir do Parque


SANTANA DO RIACHO

Santana do Riacho é um pequeno município da Serra do Cipó que é ponto de partida para chegar em Lapinha da Serra. É caminho da Estrada Real e foi muito usado  por viajantes que iam da antiga Vila Rica a Diamantina. Hoje em dia é o destino para quem chega de ônibus para fazer a travessia de Lapinha da Serra até Tabuleiro.

A praça central de Santana do Riacho 


Monumento que retrata os indígenas e exploradores da região na praça central 


Casas antigas ainda fazem parte da arquitetura deste pequeno município que engloba Lapinha


LAPINHA DA SERRA

A Lapinha foi fundada por apenas três famílias que trabalhavam em fazendas da região, no início do século passado. A estrada que dá acesso a Lapinha foi construída há pouco mais de dez anos, sendo que os moradores ainda estão se acostumando com o turismo. A vila possui algumas dezenas de casas e não há ainda infra-estrutura totalmente adequada para o turismo. Possui poucas pousadas, campings e casas para alugar que são as opções de hospedagem.

A praça central de Lapinha mostra que o ambiente de roça ainda é comum por lá


Além do Pico da Lapinha de onde se atravessa até Tabuleiro, o vilarejo possui inúmeras belezas naturais como as cachoeiras do Bicame, Lajeado, Rapel, Paraíso e o Poço do Boqueirão. A principal atração é a Lagoa da Lapinha que é a sua "praia".

O esverdeado Poço do Boqueirão e seus peixes


 A paisagem pitoresca da Lagoa da Lapinha


CACHOEIRA DO TABULEIRO

Localizada à 19 Km de Conceição do Mato Dentro, a Cachoeira do Tabuleiro é a mais alta de Minas Gerais e a terceira do Brasil. São 273 m de queda livre (equivale a um prédio de 91 andares). Na sua parte baixa possui um poço de cerca de 20 m de profundidade acessível através de uma trilha de 2 Km entre pedras que não é nada fácil. Na parte alta, a vista é impressionante, mas também é difícil chegar na boca da cachoeira.

A trilha para a Cachoeira do Tabuleiro (ao fundo)


9 DICAS PARA FAZER A TRAVESSIA

1) GPS - Costumo fazer as trilhas por conta própria, sem guias, assim fica mais emocionante! Mas para isso, um conselho que dou e pratico é usar um aparelho GPS para não se perder. O tracklog (trajeto) da travessia pode ser baixado no link do site Wikiloc.

Com Lapinha ao fundo e com GPS em mãos para a travessia


2) GUIAS - Para quem deseja fazer a travessia com um guia, existe o Centro de Condutores Nhangatú Expedições cuja sede fica perto da praça central de Lapinha. Para fazer contato basta ligar para o telefone público da praça e solicitar a quem atender que chame o condutor disponível na sede. Funciona, teoricamente, às sextas, sábados e feriados de 08h00 às 22h00 e nos domingos de 08h00 às 14h00. Tel: (31) 3718-6171. Outros contatos: (31) 9135-0101 e (31) 8431-9136 

3) NÃO TEM - Nem em Lapinha e nem em Tabuleiro você encontra posto de gasolina, banco, caixa eletrônico, internet, farmácia, hospital e oficina mecânica. Alguns estabelecimentos e pousadas aceitam cartão, mas é melhor se prevenir e levar dinheiro em espécie.

4) ACAMPAMENTO - Durante a travessia existe 2 pontos de apoio para acampar. O primeiro pernoite pode ser feito na casa da Dona Ana Benta que é sinalizada por placas. Lá se cobra os seguintes valores: camping R$15, quarto R$50 e comida R$15. Já para o segundo pernoite existe a casa da Dona Maria que oferece seu terreno para acampar sem cobrar nada por isso. Ali não existe qualquer estrutura de apoio, apenas o terreno e uma nascente ao fundo.

Acampamento no terreno da Dona Maria


5) COMIDA - Meu alimento para os 3 dias foi um saco de sanduíche de queijo com ovo, barra de proteína e bananada. Em Lapinha, na rua que dá acesso ao início da trilha, existem restaurantes regionais. Antes de iniciar a caminhada, comi minha última refeição no restaurante Caminho da Serra. O valor do prato de comida é R$ 15 e você pode se servir a vontade (só uma vez).

Bar e restaurante Caminho da Serra se destaca pela estátua do Chaves


6) ÁGUA - Nem todas as fontes de água encontradas no caminho são potáveis. As fontes confiáveis são as seguintes: o trecho inicial na subida da serra quando a trilha cruza com pequenos riachos, o Rio Parauninha, a casa da D. Ana Benta, a porteira da Água Preta e a nascente da casa da D. Maria. Se possível, tenha pastilhas para purificar água e use-as.

Sempre levo pastilhas purificadoras de água para garantir


7) CARRAPATOS - Por ser um imenso local de pasto, na região em que acontece a travessia existem pequenos carrapatos no mato baixo. Não é preciso pânico quanto a isso, apenas se prepare para a possibilidade de encontrar esses pequenos parasitas grudados em sua canela. Se quiser evitar, use calça comprida e repelente.

8) RESPEITO - Nos vilarejos ainda são preservadas tradições de interior, de roça, portanto não ande com roupa de banho pelas ruas pois é considerado desrespeito com os moradores. Também é proibido andar de moto ou carro na beira da lagoa de Lapinha, além do manancial de água que desce do Pico do Breu e abastece a cidade e que não se deve nadar lá.

9) LIXO - Carregue consigo uma sacola para colocar todo o lixo não orgânico que acumular na travessia. Evite também deixar esse lixo nos vilarejos, a coleta de lixo não é comum como nas cidades.


MAPA DA TRAVESSIA


CUSTOS (agosto de 2015)

Ônibus comum para a rodoviária - R$ 3,40
Ônibus RJ/BH (Empresa UTIL) - R$ 93,95
Ônibus para Santana do Riacho (Empresa Saritur) - R$ 36,05
Almoço em Lapinha - R$ 15
Entrada para Cachoeira do Tabuleiro - R$ 10
Conceição do Mato Dentro/BH - R$ 42,40
Ônibus BH/RJ (Empresa COMETA) - R$ 90,50


MEU ROTEIRO 

Para acompanhar o "passo a passo" dessa aventura, acesse os links abaixo:




1 comentários :

  1. Gratidão por divulgar as cachoeiras gigantes do Brasil, Minas Gerais e a cachoeira do coração Tabuleiro, única cachoeira de cristal do mundo.
    Sou Samuel guia no Tabuleiro e proprietário da Pousada da Gameleira.
    Será um grande prazer receber e guiar voces pela cachoeira do Tabuleiro na parte de cima e outras 70 cachoeiras na região, maravilhas do nosso quintal, compartilhando energias e vivencias espirituais, reforçando o encontro da vida na natureza e nossa arvore gameleira com 458 anos.
    Paz luz felicidades.
    Inté namaste!
    Samuel ace
    reserva@pousadadagameleira.com.br
    31-99263-2968 whatsapp

    ResponderExcluir

Anterior Proxima Página inicial

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Leia Também

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações