Cidades Históricas de MG: Tiradentes

Uma das cidades históricas mais visitadas no Brasil


Dez anos antes eu já havia conhecido esta cidade e lembrava que Tiradentes era bem pequena. Pois é, nada mudou. Se pode conhecer o centro histórico todo de Tiradentes em apenas algumas horas e sentir um pouco do local de nascimento do mártir da Inconfidência Mineira.


CENTRO HISTÓRICO

Saindo da Estação Ferroviária e atravessando a ponte do Rio das Mortes, é só seguir pela esquerda da rua que se chega no Centro Histórico. Logo no começo passei pela Igreja Bom Jesus da Pobreza em frente ao Largo das Forras, onde se pode contratar um passeio guiado em Jardineiras que são carroças coloridas. O guia passa pelos pontos turísticos explicando sua história. Eu preferi seguir a pé.

Tiradentes caminhou também por essas ruas na sua infância


Subi a rua pela esquerda do Largo das Forras, fotografando as ruazinhas até passar pelo Museu Padre Toledo (na rua de mesmo nome) e pela estátua de Tiradentes. Na caminhada uma loira se ofereceu para bater uma foto, depois, mais a frente, que eu perceberia que era a modelo Karina Bacchi (!). Sem maquiagem e photoshop as coisas são diferentes...

Mais de 300 anos de história!


Estátua de Tiradentes



Tiradentes foi uma das cidades que mais teve ouro de superfície no Brasil, e graças a esta abundância, o arraial se desenvolveu, sendo elevado em 1718 à categoria de Vila de São José del Rei, ganhando a configuração arquitetônica que permanece até hoje.


Becos das ruas históricas


Manequim com um autêntico cinto de castidade


MATRIZ DE SANTO ANTÔNIO

Situada em um dos locais mais elevados da cidade, a igreja pode ser vista de quase todos os pontos. É uma obra de arte com 482 kg de ouro em seu interior e foi projetada por Aleijadinho.

Construção datada do século 18


Relógios de sol para serem usados, um durante o inverno e outro no verão


O pátio em frente à igreja é um dos melhores mirantes da cidade


Da Igreja desci pela rua passando por um busto de Tiradentes até chegar em mais uma ponte que cruza o Rio das Mortes, chegando no antigo Chafariz no acesso ao Bosque Mãe D´água.

Em frente à Matriz de Santo Antônio está uma pequena praça com o busto de Tiradentes


Busto do herói da Inconfidência Mineira


CHAFARIZ SÃO JOSÉ DE BOTAS

O Chafariz é uma construção de 1749 que se destaca na cidade. A água abastecia os habitantes e os animais da cidade, além de ser utilizada para lavagem de roupas. A construção possuía três pontos de reserva de água. A primeira, que caía das três fontes, era reservada ao consumo humano. Havia também dois tanques laterais: um era utilizado para abastecimento de animais e o outro usado por escravos para lavar roupas.


A cruz em pedra e o brasão com as armas de Portugal são atrações do chafariz


Imagem de São José de Botas, padroeiro dos bandeirantes e desbravadores


Um antigo aqueduto vindo do Bosque Mãe D'Água filtra a água que é levada até lá


LARGO DAS FORRAS

O largo é a praça central onde existe a concentração de bares e restaurantes da cidade. Após almoçar no Restaurante Mineiríssimo (que eu li errado e achei que era Maneiríssimo) e carregar a bateria da minha máquina fotográfica com a ajuda da simpática senhora que me atendeu, resolvi seguir para pernoitar no próximo destino.

Praça central onde se concentra a maior parte dos restaurantes


Para mais informações desta cidadezinha histórica, como o calendário de eventos, acesse o site oficial aqui.


GASTOS (valores de DEZ 2013)

Almoço – R$ 25,00


MEU ROTEIRO

Anterior: SÃO JOÃO DEL REI

Roteiro completo: CIDADES HISTÓRICAS DE MG

Próximo: MARIA FUMAÇA


Comentários
0 Comentários

0 comentários :

Postar um comentário

Anterior Proxima Página inicial

Promoção! Reserve aqui

Booking.com

Se inscreva no canal

Pesquise o seu destino aqui

Booking.com

Notícias de Viagens

Viagens pelo Mundo

Leia Também

Sobre o autor

Sobre o autor
Renan tem 35 anos, é carioca, mochileiro, torcedor do Botafogo, historiador e arqueólogo amador. Gosta de viajar, fazer trilhas, academia, ler sobre a história do mundo e os mistérios da arqueologia, sempre comparando os lados opostos de cada teoria. Cada viagem que faz é fruto de muito planejamento e busca conhecer o máximo de lugares possíveis no curto período que tem disponível. Acredita que a história foi e continua sendo distorcida para beneficiar alguns grupos, e somente explorando a verdade oculta no passado é que se consegue montar o quebra-cabeça do mundo.

Total de visualizações